S.O.S. Gravidez

S.O.S. Gravidez.É senso comum: nem tudo são flores durante a gestação

Mas você não precisa se resignar. Aprenda como amenizar os sintomas mais chatinhos para vivenciar essa fase com bem-estar

O teste deu positivo. Você está grávida e é tomada por uma felicidade indescritível. Mas a gestação, como tudo na vida, tem seu lado B. Náusea, vômito, mal-estar, dores na região lombar e inchaço são alguns incômodos que você sente quando um bebê está crescendo no seu útero. Mas fique calma. O ginecologista e obstetra da Clínica Célula Mater Marcelo Nisenbaum explica o que está acontecendo e dá dicas de como lidar com esses desconfortos que fazem parte de qualquer gravidez.

1º Trimestre

O que você sente?

Durante as primeiras quatro ou cinco semanas, é muito comum sentir os mesmos sintomas da tensão pré-menstrual, só que mais intensos, uma vez que a carga hormonal é maior. Por isso, não fique preocupada se tiver cólica, ficar com as mamas bastante sensíveis ou se perceber o abdome inchado. Lá pela 6ª ou 7ª semana, é que surgem náusea, vômito, mal-estar, indisposição e sono – muuuito sono. Tudo isso está ligado ao beta-HCG e à progesterona, que têm papel importante na manutenção da gravidez nesse período.

O que muda no organismo?

O crescimento do útero provoca intensas mudanças em toda a região abdominal, pressionando a bexiga (o que explica a vontade frequente de fazer xixi) e provocando o inchaço abdominal. Seu intestino também começa a funcionar mais devagar e pode acumular gases. Quem está por trás de tudo isso é a progesterona. É ela também que reduz a pressão arterial, deixando-a com aquela vontade incontrolável de dormir o tempo todo. Com isso, seu organismo quer que você diminua o ritmo das atividades e poupe mais energia.

Como driblar isso?

Não existe nenhuma medicação milagrosa, mas há alguns paliativos. Sem dúvida, o melhor deles é a alimentação. Para evitar esse mal-estar, que dura o dia todo, esqueça a recomendação clássica de comer a cada três horas: o ideal é beliscar de hora em hora, em pequenas porções, como um passarinho. Ou seja: coma antes de começar a passar mal. Quando você fica enjoada, não consegue comer, a fraqueza vem e tudo isso vira uma bola de neve. Um pedaço de fruta, barrinhas de cereais e alimentos mais gelados, como saladas e sopas frias, são menos nauseantes. E não adianta forçar: você só vai conseguir comer o que tem vontade. Mas também nada de exageros. A mesma coisa com a hidratação. Tenha uma garrafinha sempre à mão e tome um gole de água a cada meia hora. Nada de virar o copo de uma vez porque a chance de botar tudo para fora é maior. Os gases podem ser minimizados ao evitar alimentos que propiciam alta fermentação, como repolho, feijão e lentilha. Quanto à sonolência, não tem jeito: você vai ter que lidar com a vontade de dormir o dia todo, mas pense que isso é por pouco tempo. A boa notícia: apesar de esses sintomas serem bastante desconfortáveis, são bons sinais de que a gravidez está indo para a frente.

2º Trimestre

O que você sente?

A segunda fase costuma ser mais tranquila. Você tem mais disposição para fazer atividades físicas, sociais e profissionais. As más notícias: as estrias podem surgir com o crescimento da barriga e problemas digestivos, como azia, má digestão e prisão de ventre, que podem atrapalhar o seu dia – e o seu sono.

O que muda no organismo?

Com 20 semanas, o útero fica na altura da cicatriz umbilical, dando forma à inconfundível barriga de grávida, e começa a pressionar o diafragma, deixando sua respiração mais ofegante. Para sustentar o peso, o eixo de equilíbrio se desloca, o que provoca desconforto nas costas. Enquanto isso, os hormônios trabalham a todo vapor: o melanotrófico acelera a produção do pigmento da pele, a melanina. Por isso, você já deve ter reparado que apareceram manchas pelo corpo, como a linha vermelha da barriga, ou suas aréolas ficaram mais escurecidas.

As glândulas mamárias começam a produzir o colostro, secreção mais esbranquiçada.

Como driblar isso?

As atividades físicas são recomendadas durante toda a gestação. Porém é a partir desta fase que a gestante se sente melhor para praticá-las. Além de controlar o ganho de peso, elas ajudam a combater os enjoos, a prisão de ventre, o inchaço e melhoram a postura, diminuindo as dores nas costas. Em relação ao cuidado com a pele, é sempre melhor prevenir do que remediar. Use um protetor solar e um bom hidratante corporal para tentar amenizar o aparecimento de manchas e estrias. Quanto à azia, vale apelar para alguns antiácidos – sempre com a orientação do seu médico, é claro. Para melhorar a digestão, evite alimentos fritos e gordurosos, apimentados ou com tempero muito forte. Experimente também tomar chá de hortelã, erva-doce ou erva-cidreira depois das refeições. Já para a prisão de ventre, a recomendação é beber muito líquido e ingerir bastante fibra. Para quem gosta de iogurte com fibras, essa é uma ótima opção para dar aquela forcinha a seu intestino.

3º Trimestre

O que você sente?

A barriga grande é responsável pela maioria dos incômodos desta fase. Lembra-se daquele desconforto nas costas? Ele tende a piorar. É natural sentir dores na região lombar, nas costas, nas pernas e nos pés por causa do peso. A barrigona também dificulta o sono, o que a deixa de mau humor. Além disso, você naturalmente fica mais ansiosa e angustiada à medida que a gestação avança. A pressão do útero sobre os vasos sanguíneos pode aumentar o risco de varizes e causar inchaço nas pernas e nos tornozelos. E mais: podem surgir hemorroidas se você tiver predisposição.

O que muda no organismo?

O útero aumenta cerca de 20 vezes: de 90 cm3, o órgão passa para 1000 cm3 perto do parto. As mamas também já estão bastante grandes: chegam a ficar até três vezes maiores para armazenar o leite, que só começa a ser produzido depois que o bebê nasce. A barriga começa a descer, o que, por um lado, pode facilitar sua respiração, mas, por outro, aumentam as dores lombares. Os ligamentos da pélvis se distendem e você começará a sentir uma pressão no quadril: é o corpo se preparando para o trabalho de parto.

Como driblar isso?

De novo, seu maior aliado é a atividade física. O trabalho muscular protege as articulações e ajuda a drenar o inchaço nas pernas. Caso não seja adepta dos exercícios, você pode fazer sessões de drenagem linfática ou recorrer à meia-calça de compressão, que evita o acúmulo de líquido nas extremidades e também serve para minimizar as varizes. Outra dica para evitar as varizes é não ficar mais de uma hora na mesma posição durante o dia e fazer um intervalo de cinco minutos para caminhar ou apenas se movimentar na cadeira. As hemorroidas são varizes na área do reto e, portanto, o melhor meio de preveni-las é ir ao banheiro regularmente. Além disso, evite fazer força para evacuar e coma alimentos laxativos, como mamão e ameixa. Para dormir bem, mais uma vez, o bom remédio é praticar exercícios. Mas aqui também vai outra dica: dormir de lado, com um travesseiro embaixo do joelho e outro na barriga, é uma das posições mais confortáveis.