Testes Genéticos

testes genéticos

Testes genéticos são confiáveis?

Os avanços da medicina genética levaram à proliferação de testes genéticos realizados por empresas privadas, com a intenção de prever e prevenir doenças. Mas um estudo recente mostra que, na prática, ainda sabemos pouco sobre as mutações genéticas.

Nos últimos anos, ficou claro que muitas que em algum momento haviam sido associadas a doenças foram mal interpretadas. A competição entre diferentes laboratórios dificulta ainda mais a compreensão dessas variações.

Para compartilhar e analisar comparativamente as informações de pacientes, inaugurou-se em abril de 2013 um banco de dados nos Estados Unidos, compilando os dados de mais de 300 laboratórios.

O estudo publicado em maio no New England Journal of Medicine confrontou os dados coletados e constatou que, das variantes analisadas por mais de uma empresa (e que, portanto, oferecem base para comparação), 17% receberam avaliações distintas.

Enquanto um laboratório entendia o resultado como indicativo de alguma patologia, outro dizia que a mutação era insignificante ou benigna.

“Ainda estamos muito longe de um mundo em que podemos sequenciar um genoma de um paciente e interpretar com facilidade o seu risco de desenvolver alguma doença”, diz o estudo.