Infertilidade Feminina

Infertilidade Feminina

Alguns fatores podem comprometer a fertilidade da mulher. Dentre eles estão:

Idade :

Ao longo da vida, a fertilidade feminina diminui a partir dos 25 anos e cai abruptamente a partir dos 35 anos. Aumentam também as chances de abortamento, malformações e doenças genéticas a partir dos 35 anos.  Apos os 40 anos, a taxa de gravidez pode cair de 25% para 5% ao mês e assim progressivamente.

Antecedentes clínicos:

Avaliar o histórico de doenças sistêmicas e ginecológicas é essencial para investigar a origem da infertilidade. Entre as diversas causas de infertilidade, podemos destacar algumas mais frequentes: doenças autoimunes, distúrbios da tireoide e trombofilias, que geralmente causam abortos de repetição. Padrão dos ciclos menstruais, tempo de infertilidade, presença de doenças infecciosas, cirurgias pélvicas anteriores, além de tratamentos realizados sem sucesso anteriormente, todos estes dados contribuem na definição da melhor conduta a ser adotada.

Problemas ovulatórios – aproximadamente 20%

Alterações hormonais podem levar à anovulação crônica, isto é, à ausência de ovulação. A causa mais frequente é a síndrome dos ovários micropolicísticos que, além da dificuldade para engravidar, caracteriza-se por menstruações irregulares e aumento de androgênios na circulação, o que leva ao aumento de pelos e da oleosidade da pele. O diagnóstico é realizado principalmente a partir da história clínica, auxiliado por ultrassonografia e dosagens hormonais.

Fator Tubário – aproximadamente 14%

A tuba uterina tem importância fundamental para que ocorra a gestação: é nela que acontece o encontro do óvulo com o espermatozoide. Portanto, alterações tubárias são causas relativamente importantes de infertilidade. Essas alterações podem ser decorrentes de infecções, das quais os agentes mais comuns são a Chlamydia Trachomatis e a Neisseria Gonorrhoeae, ou de inflamações associadas à endometriose.

Fator uterino – aproximadamente 5-10%

O útero é o órgão onde ocorrerá a implantação e desenvolvimento do embrião. Doenças que acometem este órgão, em especial a cavidade endometrial, podem provocar a infertilidade. Essas alterações podem ter origem em disfunções hormonais ou vasculares, ou ainda serem decorrentes de pólipos, miomas ou alterações anatômicas congênitas.

Endometriose – aproximadamente 6-10%

A endometriose ocorre quando a camada interna do útero, o endométrio, cresce e se prolifera fora dele – o que pode ocorrer em qualquer parte do corpo, mas se observa mais comumente na cavidade pélvica e nos ovários.

Nem toda mulher com endometriose terá problemas para engravidar, porém, com frequência, a infertilidade é a única manifestação clínica de pacientes da endometriose, que acaba sendo diagnosticada durante a investigação de infertilidade.

Saiba mais sobre endometriose

Fator imunológico

Apesar de ainda não haver consenso sobre o assunto, acredita-se que existem fatores imunológicos que influenciam a tanto a interação entre o ambiente uterino e o esperma quanto entre o ambiente uterino e o embrião. Tais fatores podem ter um papel na implantação e na evolução da gestação.

Célula Mater